TIM entra com mandado de segurança

Marcelo Moreira

20 de julho de 2012 | 21h20

A TIM informou que entrará hoje com mandado de segurança para não ser forçada a interromper as vendas e ativações de novos chips a partir da próxima segunda-feira.

A operadora, que foi a líder em reclamações de clientes em 18 Estados e no Distrito Federal ao longo dos últimos 18 meses, segundo a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), foi a mais prejudicada pela medida da agência.

A empresa, que na prática vem distribuindo chips no País – o valor de venda é de R$ 5, mas a linha é habilitada com R$ 10 em créditos –, será proibida de habilitar novos clientes em uma área que representa 61,9% do mercado de telefonia móvel, segundo análise da Concórdia Corretora.

A Claro, operadora mais reclamada em São Paulo, terá as vendas afetadas em 28% do mercado nacional, enquanto os cinco Estados da Oi contribuem com 9,3%. A operadora argumentou que tem bons resultados no Índice de Desempenho no Atendimento da Anatel (IDA), que mede o volume e o prazo de atendimento das reclamações à Anatel.

Tudo o que sabemos sobre:

AnatelClaroOiProconTIM

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.