Telefônica promete internet estável

Marcelo Moreira

17 de julho de 2009 | 22h46

LUCIELE VELLUTO – JORNAL DA TARDE
GERSUA MARQUES – O ESTADO DE S. PAULO

A Telefônica garantiu ontem que os problemas de instabilidade no serviço de internet por banda larga Speedy estão resolvidos, pois a a primeira fase de implantação de melhorias no sistema foi finalizada.

A empresa também pediu à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) permissão para voltar a vender o serviço, que teve a comercialização suspensa no dia 23 de junho, em razão de seguidos problemas técnicos.

Segundo o presidente da Telefônica, Antonio Carlos Valente, o plano exigido pela Anatel foi entregue com dez dias de antecedência e nos dias 20 e 21 a empresa deve receber a visita de técnicos da agência para verificar as medidas adotadas. “Não temos previsão para a volta das vendas do Speedy. Nós fizemos a nossa parte. Agora a agência vai avaliar”, disse.

Em Brasília, o presidente da Anatel, Ronaldo Sardenberg, afirmou que, em até 15 dias, o conselho diretor da Agência analisará o pedido da Telefônica para retomar a venda do serviço de banda larga.

Ele disse que recebeu ontem o comunicado da Telefônica de que concluiu a implantação das metas previstas para a primeira fase de recomposição da rede para a solução dos problemas.

“Espero que, em menos de uma semana, eu tenha resposta do setor técnico da Agência”, disse. No entanto, ele preferiu não comentar se irá ou não aceitar o pedido da companhia.

Investimentos

Para concluir a primeira fase do plano, a Telefônica investiu R$ 16,1 milhões em um sistema de contingência, ou seja, que dará suporte à rede em caso de nova pane. De acordo com Valente, também houve investimento em melhoras de segurança do sistema, já que uma das falhas apresentadas pelo Speedy foi resultado de ataques externos.

Para a segunda e terceira fases serão aplicados R$ 33,6 milhões e R$ 18,4 milhões, respectivamente, na expansão do sistema de banda larga com aquisição de nova tecnologia – a empresa afirma que parte dos equipamentos está a caminho do País ou já sendo testada para ser implantada na rede.

Segundo o diretor de serviços, operações e sistemas de redes, Fabio Micheli, os prazos originais de 90 e 180 dias para conclusão do restante do plano também devem ser antecipados.

O investimento total da companhia para este ano é de R$ 2,4 bilhões, sendo R$ 750 milhões para a área de banda larga. Em 2008, o segmento de internet rápida recebeu o aporte de R$ 500 milhões. A empresa tem 2,7 milhões de clientes assinantes do Speedy.

Outro setor ao qual a Telefônica destinou parte dos recursos é o de atendimento de clientes e vendas. A empresa fez 350 contratações e está treinando toda a rede de atendentes e de suporte. Para agosto estão previstas mais 150 contratações.

“Vamos reduzir o número de promoções para não haver problemas nas vendas e com os clientes. Vamos procurar deixar mais claras as informações dos serviços e procurar melhorar a qualidade da venda. Com todas essas medidas, esperamos recuperar a confiança dos clientes”, disse Valente.

O presidente da Telefônica também afirmou que, além do problema com o Speedy, outra dificuldade enfrentada pela empresa foi a adequação à lei que exige o atendimento em até um minuto do consumidor que solicitar falar com um atendente. “Foi demorada a adequação do Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC)”, reconheceu.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.