Telefonia é a campeã de reclamações do Sindec

Marcelo Moreira

05 de março de 2009 | 21h28

ELENI TRINDADE – JORNAL DA TARDE

A telefonia foi o principal motivo de queixas e dúvidas do consumidor paulista em fevereiro. É o que mostra o Sistema Nacional de Informações de Defesa do Consumidor (Sindec) do Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC), do Ministério da Justiça, com base em dados do Procon-SP. Entre as dez empresas mais citadas no período de 5 a 28 de fevereiro, quatro são operadoras de telefonia.

A primeira colocada é a Telefônica, com 1.901 atendimentos. Em seguida estão Eletropaulo (207 atendimentos), Sony Ericsson (186 atendimentos), Claro (143), Embratel (138), TIM (129), Net (127), Banco Ibi (124) e Banco Itaucard (112) e Banco Itaú S/A(106).

No total, foram computados 7.170 atendimentos – que incluem esclarecimentos de dúvidas, envio de Carta de Informações Preliminares pelo Procon às empresas e reclamações. O critério de pesquisa escolhido pela reportagem foi o de busca “por fornecedor”.

Em nota, a Telefônica informou que “o total de consultas ao Procon sobre serviços das diversas empresas refere-se a dúvidas dos consumidores, não constituindo ‘reclamações'”.

Segundo a empresa, “é natural que os serviços de telecomunicações apresentem maior possibilidade de dúvidas em comparação com as despertadas nos clientes de empresas de outros setores, pois esses serviços não se restringem ao serviços de voz e têm uma série de variáveis envolvidas, como regulamentação do setor para horários de ligações e tipos de chamadas”.

A Embratel informou que faz “investimentos constantes no incremento dos processos e no atendimento aos clientes para melhoria contínua de seu trabalho” e “criou canais exclusivos para atendimento às demandas do Procon e Anatel”.

A TIM destacou que “investe constantemente na melhoria de seus processos e no treinamento de sua equipe”. A Claro informou que não comenta os dados.

O Itaú assinalou que a posição do Banco Itaucard no ranking do Sindec “é reflexo do forte movimento das operações de cartões de crédito no varejo”. A empresa informa que “atua de maneira intensa na melhoria da qualidade”. As demais empresas não se pronunciaram.

O Sindec é um banco de dados com informações de Procons de todo o País. O Procon de São Paulo entrou na base de dados no dia 5 de fevereiro. Segundo o DPDC, com o ingresso de São Paulo no sistema, será possível ter acesso aos principais problemas dos consumidores paulistas. Essas informações serão usadas pelas três esferas de governos na formulação de políticas públicas.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.