Taxa média de juros volta a subir em junho

As taxas médias de juros do empréstimo pessoal e do cheque especial voltaram a subir em junho, segundo a Fundação Procon de São Paulo (Procon-SP). Esta foi a segunda alta seguida das taxas, depois de um período de estabilidade.

Marcelo Moreira

14 de junho de 2010 | 18h40

As taxas médias de juros do empréstimo pessoal e do cheque especial voltaram a subir em junho, segundo informou hoje a Fundação Procon de São Paulo (Procon-SP). Esta foi a segunda alta seguida das taxas, depois de um período de estabilidade.

 Entre os bancos pesquisados, a taxa média do empréstimo pessoal foi de 5,28% ao mês em junho, superior aos 5,21% ao mês registrados em maio. No caso do cheque especial, a taxa média passou de 8,83% ao mês em maio para 8,90% ao mês em junho.

 Conforme o levantamento de junho do Procon-SP, a taxa média mais alta no empréstimo pessoal é cobrada pelo Itaú Unibanco (5,86% ao mês), enquanto o juro mais baixo é o do Banco do Brasil e o da Nossa Caixa, de 4,68% ao mês.

Os bancos Bradesco (5,40% ao mês), Caixa Econômica Federal (4,78%), HSBC (4,83%), Real (5,63%), Safra (5,40%) e Santander (5,63%) também foram avaliados.

No caso do cheque especial, a taxa média de juros mais alta é do Safra (12,30% ao mês), enquanto a mais baixa é da Caixa Econômica Federal (7,15% ao mês).

As demais taxas médias foram pesquisadas no Banco do Brasil (7,69% ao mês), no Bradesco (8,30%), no HSBC (9,36%), no Itaú Unibanco (8,59%), na Nossa Caixa (7,69%), no Real (9,66%) e no Santander (8,59%).

O levantamento do Procon-SP foi feito no dia 2 de junho. Considerando que existe a possibilidade de variação da taxa do empréstimo pessoal em função do prazo do contrato, a instituição fixou um período de 12 meses na pesquisa. Os dados se referem a taxas máximas pré-fixadas para clientes não preferenciais, independente do canal de contratação. Para o cheque especial, a pesquisa considerou o período de 30 dias.

Tudo o que sabemos sobre:

jurosProcon

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: