Tarifas bancárias sobem mais do que a inflação

Marcelo Moreira

01 de maio de 2009 | 18h24

ELENI TRINDADE – JORNAL DA TARDE

O reajuste médio nos preços das tarifas bancárias e dos pacotes de serviços dos bancos subiu muito acima da inflação na maioria dos bancos após a padronização dos serviços bancários estabelecida pelo Banco Central (BC) em maio de 2008.

É o que mostra um levantamento feito pelo Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec). A pesquisa identificou um reajuste médio de 38,6% nos preços das tarifas avulsas e de 17,2% nos pacotes de serviços após o congelamento de 180 dias estabelecido pela Resolução 3518/07 do BC.

Esses aumentos ficaram bem acima do Índice de Preço ao Consumidor Amplo (IPCA) de 5,03% medido no período (maio de 2008 a março de 2009).

“A padronização não definiu um teto ou um valor mínimo de reajuste e cada banco aplicou um índice próprio”, explica Ione Amorim, economista do Idec. “A norma foi positiva ao padronizar os serviços, pois facilita a pesquisa do consumidor, mas faltou estabelecer alguns parâmetros, como um limite para reajuste.”

De acordo com a assessoria de imprensa do BC, a resolução realmente permite que o reajuste nas tarifas seja livre, mas fixa prazos de 180 dias para “congelamento” dos preços indexados, isto é, uma vez alterados, os valores só podem ser aumentados após 180 dias.

Caso o banco deseje reduzir as tarifas, pode fazê-lo a qualquer momento, informa o BC.

O acompanhamento do Idec, feito com os 10 bancos com mais de um milhão de clientes (Banco do Brasil, Banrisul, Bradesco, CEF, HSBC, Itaú, Nossa Caixa, Real, Santander e Unibanco), mostrou que nove deles reajustaram pelo menos uma tarifa avulsa, exceto a CEF. “Identificamos 46 reajustes diferentes , com índice máximo no Banrisul (o pacote padronizado passou de R$ 8 para R$ 18,50, alta de 131,25%) e o mínimo, na CEF (Pacote Especial passou de R$ 21,50 para R$ 22, aumento de 2,33%)”.

Segundo a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), os bancos cumprem a resolução, são variados os fatores que levam os bancos a fazer os ajustes periódicos nas tarifas e os clientes devem pesquisar sempre as melhores tarifas.

Entre os pacotes, cinco bancos (CEF, Banrisul, HSBC, Santander e Unibanco) aumentaram os preços. Uma boa notícia é que em função das fusões (Itaú/Unibanco, Santander/Real e Banco do Brasil/Nossa Caixa), algumas poucas tarifas baixaram.

Tendências: