Speedy: cliente compra mais velocidade

Marcelo Moreira

01 de julho de 2009 | 22h02

SAULO LUZ – JORNAL DA TARDE

A Telefônica está proibida pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) de vender o serviço de banda larga Speedy, mas continua atendendo clientes que desejam migrar para um plano que tenha uma velocidade maior de conexão.

Desde o dia 22 de junho, a operadora está suspensa a autorização para vender novos planos de Speedy, sob pena de pagar multa de R$ 15 milhões, mais R$ 1 mil por acesso vendido.

A suspensão foi determinada em razão das constantes interrupções e falhas ocorridas na prestação do serviço. Apesar disso, a operadora de telefonia continua oferecendo aos seus clientes a possibilidade de dar uma “turbinada” na banda larga.

A Anatel informou que ainda está analisando se a Telefônica tem (ou não) permissão para realizar a migração de clientes para planos com maior velocidade de conexão.

“Isso é um absurdo. Como a Telefônica pode aumentar a velocidade, uma vez que foi demonstrada que a empresa não tem capacidade de atender toda a demanda – e que isso causava falhas na prestação do serviço?”, questiona Maria Inês Dolci, coordenadora institucional da Associação Brasileira de Defesa do Consumidor (Pro Teste).

No próprio site que a empresa montou para explicar a suspensão da venda do Speedy, a operadora informa não haver nenhum impedimento para fazer o aumento de velocidade do pacote que o cliente já tem disponível. “Não é a velocidade maior que vai melhorar a conexão. Isso é uma questão de problemas na qualidade do serviço”, diz Maria Inês.

A Telefônica informa que não realiza a venda ativa (seja por telemarketing ou qualquer outro meio) de aumento na velocidade do Speedy. Mas, se o cliente solicita a mudança, a empresa atende o pedido.

Os clientes permanecem com o direito (de aumentar ou diminuir a velocidade de sua conexão) garantido. A companhia ressalta que a medida da Anatel (em proibir a venda do Speedy) foi tomada apenas para impedir que se aumente a base de clientes do serviço e as vendas deverão ser autorizadas pela agência após estabilizar a rede.

A Telefônica é campeã de reclamações registradas pelos consumidores no Procon, que confirma que, atualmente, o serviço Speedy desponta como um dos principais questionamentos.

Consumidores que tiveram, ou ainda têm, problemas com o serviço de banda larga Speedy podem denunciar irregularidades ao Procon-SP através do site (www.procon.sp.gov.br/denunciaspeedy).

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.