Selo do Inmetro para as panelas de metal

Marcelo Moreira

23 de junho de 2012 | 08h19

JOSÉ GABRIEL NAVARRO

 O Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) pretende lançar um selo de qualidade específico para certificação de panelas de metal. Segundo dados do órgão, um em cada dez acidentes domésticos ocorridos na cozinha envolvem esse objeto.

Além disso, um levantamento realizado pelo instituto via internet entre setembro e outubro do ano passado aponta que 31% dos consumidores já se acidentaram ao utilizar uma panela. Também mostrou que 71% acreditam que podem se machucar ao menos uma vez com o utensílio em um futuro próximo.

Para aperfeiçoar as propostas de segurança e aumentar a confiança dos consumidores desses objetos, está aberta até amanhã uma consulta pública para que os cidadãos possam dizer quais melhorias poderiam diminuir os riscos diante do fogão. Dúvidas, críticas e sugestões podem ser enviadas para o e-mail dipac.consultapublica@inmetro.gov.br. O órgão conta ainda com uma ouvidoria que registra e cataloga as queixas de acidentes. É possível acioná-la por meio do telefone gratuito 0800 285 1818 e também pelo site www.inmetro.gov.br.

“É importante que o consumidor reconheça os seus direitos e a importância do seu papel para contribuir com a melhoria dos produtos, principalmente no item ‘segurança’”, disse o diretor de qualidade do instituto, Alfredo Lobo.

Mas a mudança não sairá sem custos para o consumidor. As demandas estipuladas pelo Inmetro incluem melhorias como menor vazamento do calor das panelas à temperatura ambiente, maior resistência a impactos e inserção de um termodifusor na área de contato com o fogo. Resultado: os aperfeiçoamentos devem elevar o preço das panelas, embora o instituto não estime de quanto será o eventual aumento.

De acordo com o próprio Inmetro, 89,43% dos entrevistados na mesma pesquisa feita ano passado responderam que estariam disposta a pagar “um pouco mais” por panelas de metal que atendessem aos novos requisitos obrigatórios de segurança.

Isso dá aos fabricantes estímulo para aumentar o preço dos utensílios. Mas os novos valores só podem ser calculado após as normas serem definidas, de acordo com fabricantes.

As novas regras passam a valer para a indústria a partir de novembro de 2013. Já os comerciantes terão prazo para vender panelas sem os requisitos de segurança até maio de 2015, quando todas lojas do País deverão comercializar apenas panelas de metal mais seguras.

O levantamento do Inmetro indica que as principais causas de acidentes com esses produtos hoje são a falta de resistência ao calor, a pouca fixação dos cabos, as tampas em tamanhos maiores ou menores que o ideal e a falta de resistência à corrosão.

Tudo o que sabemos sobre:

Inmetropanelas

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.