Justiça condena estabelecimentos comerciais por revistar consumidores

Marcelo Moreira

11 de julho de 2008 | 19h05

O Tribunal de Justiça de Santa Catarina condenou um supermercado a indenizar um consumidor em R$ 6.200 por danos morais . Ele teve a bolsa revistada por seguranças sem ter furtado nada do estabelecimento. Segundo a sentença, as testemunhas comprovam que a abordagem deixou o cliente em uma situação vexatória.
Decisão semelhante foi tomada pela 8ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. A empresa União de Lojas Leader foi condenada a pagar R$ 6 mil por danos morais a uma consumidora revistada na saída do estabelecimento porque o alarme soou. Ela nada tinha roubado e recebeu um pedido de desculpas. Para os juízes, o fato causou abalos psicológicos à moça

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.