Renegocie a dívida antes que ela fique impagável

Marcelo Moreira

06 de janeiro de 2010 | 21h34

Renegociar as dívidas é a melhor saída quando o consumidor não consegue dar conta de seus compromissos financeiros. Ainda que haja cobrança de juros maiores, negociar evita que o nome do devedor vá para as listas de proteção ao crédito, como SPC e Serasa.

Caso o nome do consumidor já esteja “negativado”, a renegociação também ajuda a minimizar o problema, já que a dívida antiga é cancelada para a criação de uma nova. Ao negociar com o devedor, no entanto, o consumidor deve ficar atento a alguns detalhes essenciais.

Pergunte sobre o número de parcelas, a taxa de juros, as multas e o que acontece caso haja novo atraso. Exija também que todas as especificações sejam documentadas.

Essas providências evitam surpresas na hora da cobrança, especialmente muito tempo depois da negociação, quando o consumidor pode não ter mais certeza sobre o que foi acordado. Além disso, peça o comprovante de pagamento de cada parcela, para não ser cobrado indevidamente no futuro.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.