Rede da Claro sofre pane em São Paulo

Marcelo Moreira

22 de dezembro de 2009 | 22h41

CAROLINA DALL’OLIO – JORNAL DA TARDE

O rompimento de cabos de fibra ótica da Embratel foi o causador das falhas registradas ontem nos telefones celulares da Claro por mais de três horas. Segundo a operadora, a pane atingiu também o chamado “sistema de redundância”, que deveria funcionar como uma espécie de backup (sistema alternativo de segurança), garantindo a manutenção do serviço.

Por essa razão, desde o fim da manhã de ontem, clientes da operadora enfrentavam dificuldades para efetuar e receber ligações. A chamada não era completada. A situação só foi normalizada às 18h30, segundo a Claro.

O problema afetou apenas os clientes corporativos da Claro São Paulo. Entretanto, como são planos empresariais, profissionais que trabalham em outras cidades – mas cuja empresa teria contratado o plano em São Paulo – também foram atingidos pela pane, já que a falha tem origem nas rotas de fibras ópticas da Embratel, que são usadas pela Claro para encaminhar as chamadas.

A justificativa da Claro contrasta, porém, com a narrativa de clientes da empresa. Mesmo quem possui uma linha particular completamente desvinculada de planos corporativos, enfrentou dificuldades para usar o telefone ontem. E não apenas em São Paulo.

Um técnico da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), que preferiu não se identificar, informou que as falhas foram verificadas também em Brasília, Rio de Janeiro e parte da Região Sul.

Também foram atingidos os serviços de ligação de longa distância, inclusive os interurbanos, que usam o código 21, da Embratel, para fazer essas chamadas.

A Anatel confirmou a pane da Claro. Funcionários do escritório da agência em São Paulo informaram que o aumento da quantidade de reclamações recebidas pela central de atendimento aos usuários (Telefone 133) obrigou a Anatel a notificar a Claro e também a Embratel.

As denúncias dos clientes já foram encaminhadas para o escritório central da Anatel, em Brasília, e uma fiscalização na central de operações da Claro será feita para verificar se a empresa terá de ressarcir os usuários cujos telefones ficaram fora de operação.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.