Reclamações contra a Telefônica sobem 660%

Marcelo Moreira

07 de julho de 2009 | 21h35

As reclamações contra a Telefônica, feitas à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), subiram de 1,8 mil, em fevereiro de 2007, para 13,7 mil em abril deste ano, um aumento de 661,1%.

Os números foram apresentados ontem pelo superintendente de Serviços Privados da Anatel, Jarbas Valente, em audiência pública promovida pela Comissão de Ciência e Tecnologia da Câmara para discutir as panes ocorridas no serviço de banda larga Speedy.

O aumento das reclamações foi um dos motivos que levaram a Anatel a proibir, há duas semanas, a venda do Speedy pela Telefônica. Jarbas Valente disse que foi criado um grupo dentro da Anatel para acompanhar e avaliar as ações que vêm sendo implantadas pela empresa dentro do plano de emergência.
O diretor executivo do Procon de São Paulo, Roberto Pfeiffer, disse que o órgão de defesa do consumidor também vem registrando um crescimento das reclamações contra a Telefônica, principalmente sobre o Speedy.

O presidente da Telefônica, Antonio Carlos Valente, assumiu na audiência de ontem, o compromisso de, até o fim deste ano, fazer uma melhoria efetiva na rede do Speedy e no sistema de atendimento ao cliente.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.