Queixas de aparelhos disparam

crespoangela

26 de setembro de 2006 | 00h03

Texto de Andréia Fernandes

Quando o aparelho celular de Estevão Haruo Abe apresentou defeito, ele logo foi a uma assistência técnica da Motorola, fabricante do aparelho. A oficina estava cheia de clientes e Abe esperou durante uma hora para ser atendido. Enquanto isso, ficou observando o movimento. “Percebi que várias outras pessoas que estavam ali reclamavam do mesmo aparelho que o meu e sobre o mesmo defeito: o visor apagava constantemente. Achei estranho.”

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.