Quanto mais queixas, maior a cobrança

Marcelo Moreira

20 de agosto de 2012 | 17h40

Luciele Velluto

As reclamações que chegam às agências e órgãos reguladores não são resolvidas uma por uma pela entidade, apesar de serem encaminhadas e terem a resposta cobrada das empresas reclamadas. As queixas acabam entrando no sistema de dados para que decisões que beneficiem coletivamente os consumidores possam ser adotadas.

“Um consumidor com problema é um. 100 pessoas com problema é a empresa com problemas. O consumidor precisa entender que o benefício deve ser coletivo e não individual quando o assunto é defesa do consumidor”, afirma Paulo Arthur Góes, diretor executivo do Procon-SP.

O Banco Central, que supervisiona todo o setor bancário nacional, explica que todas as reclamações registradas pelo órgão são analisadas e, a partir desses dados, a entidade elabora seu planejamento de fiscalização.

Contudo, como as punições podem ser desde advertência à instituição bancária a até cassação da autorização de funcionamento da empresa do setor financeiro, as reclamações que chegam ao BC costumam ser resolvidas pelos bancos rapidamente.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) também afirma que é por meio da denúncia feita por consumidores que o órgão municipal ou local fiscaliza e, com isso, ocorre a punição de estabelecimentos comerciais que vendem produtos fora do prazo de validade ou com irregularidades que podem trazer dano à saúde, por exemplo.

Tudo o que sabemos sobre:

Procon

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.