Quando o cartão chega sem solicitação, com fraude de 'brinde'

Marcelo Moreira

03 de abril de 2009 | 19h56

Uma das práticas mais insidiosas – e odiosas – de algumas empresas é o envio de cartões de crédito sem que sejam solicitados.

Pior ainda quando esses mesmos cartões de crédito, que sequer foram desbloqueados, acabam servindo para que estelionatários façam todo tipo de fraude. Na imensa maioria dos casos, a empresa ou banco nada tem a ver com essas fraudes.

No entanto, esse tipo de situação acaba se tornando uma dor de cabeça paraas vítimas, como é o caso da leitora do Jornal da Tarde Norma Lúcia Soncini, de São Paulo. Leia o seu relato abaixo:

“Uma loja, que tem um de seus cartões administrados pela Cetelem, me ofereceu esse meio de pagamento. Mesmo sem interesse, aceitei e nunca o desbloqueei para uso. Pouco tempo depois, recebi uma fatura referente a uma compra que eu não havia feito.

Contatei a empresa para solicitar o cancelamento da fatura e do cartão e, além de me deparar com um atendimento lento e burocrático, o atendente questionou se alguém de minha residência não teria feito a compra.

A empresa informou que após analisar a situação me retornaria, mas até agora não fui contatada.”

RESPOSTA DA CETELEM, POR MEIO DE SUA OUVIDORIA: Contatamos a cliente e esclarecemos a questão. Cumpre informar que a empresa, para dirimir a presente situação da melhor forma possível analisou o caso apresentado e, ante as informações prestadas, tomou as devidas providências no sentido de resguardar os direitos do consumidor. Constatamos que a compra efetuada não é de responsabilidade da consumidora, a mesma será regularizada, bem como os encargos gerados indevidamente. O cartão encontra-se cancelado.

COMENTÁRIO DA REDAÇÃO: A consumidora informou que, após muitos transtornos, a empresa cancelou a fatura e o cartão.

COMENTÁRIO DO ADVOGADO DE DEFESA: Diante desses dois aborrecimentos, a Cetelem deveria ter resolvido de imediato a reclamação, em lugar de dispensar ao consumidor tantos dias de descasos para resolver um problema tão simples. Esse tipo de lesão ultrapassa os dissabores comuns e comporta pedido de indenização por dano moral, até mesmo como forma de contribuir para a mudança de conduta da administradora do cartão.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.