Procon-SP: juros bancários ficaram estáveis em março

Marcelo Moreira

09 de março de 2010 | 22h45

DA AGÊNCIA ESTADO

As taxas de juros cobradas pelos bancos no empréstimo pessoal e cheque especial mantiveram-se
estáveis no início de março, ante o início de fevereiro, de acordo com pesquisa mensal da Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor do  Estado de São Paulo (Procon-SP), órgão vinculado à Secretaria de Justiça e Defesa da Cidadania do Estado.

O levantamento foi feito no dia 2. É o quinto mês consecutivo que o empréstimo pessoal apresenta a mesma taxa média, e, no caso do cheque especial, o terceiro. No empréstimo pessoal, a taxa média dos bancos pesquisados manteve-se em 5,17% ao mês para os  contratos de 12 meses, mesmo porcentual de fevereiro.

Dentre os dez bancos pesquisados, a única alteração foi promovida pelo Bradesco, que elevou a taxa de empréstimo pessoal de 5,34% para 5,37% ao mês, acréscimo de 0,03 ponto porcentual. No cheque especial, a taxa média dos bancos pesquisados manteve-se em  8,79% ao mês, sem alterações entre as instituições financeiras consultadas.

Os dados coletados referem-se às taxas máximas pré-fixadas para clientes não-preferenciais, independente do canal de contratação – para o cheque especial, foi considerado o período de 30 dias. A pesquisa envolveu dez instituiçõesfinanceiras: Banco do Brasil (BB), Bradesco, Caixa Econômica Federal (CEF), HSBC, Itaú, Nossa Caixa, Real, Safra, Santander e Unibanco.

Na primeira reunião deste ano, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC), em 26 e 27 de janeiro, o órgão decidiu manter  a taxa Selic em 8,75% ao ano, nível inalterado desde julho.

Mais conteúdo sobre:

bancosjurospesquisaProcon