Procon lista lojas virtuais irregulares

Marcelo Moreira

11 de janeiro de 2012 | 16h12

O Procon-SP denunciou ao Departamento de Polícia de Proteção à Cidadania (DPPC) 29 sites de comércio eletrônico que atrasaram ou não entregaram produtos aos consumidores. O objetivo é responsabilizar criminalmente as empresas que mantêm o site por não cumprirem o prometido.

Segundo o diretor executivo em exercício do Procon-SP, Carlos Coscarelli, as empresas são procuradas para solucionar os casos e não são encontradas – as notificações encaminhadas retornam com informações como “mudou-se” e “endereço inexistente”.
“Tentamos contato, inclusive por correspondência, e não obtivemos retorno. Alguns ainda estão no ar oferecendo produtos e podem continuar lesando consumidores desavisados”, diz Coscarelli.

Mais conteúdo sobre:

DPDClojasProcon