Procon e Polícia debatem atuação em parceria

Marcelo Moreira

15 de outubro de 2011 | 07h52

A Fundação Procon-SP se reuniu com o delegado titular da Unidade de Inteligência Policial do Departamento de Polícia de Proteção à Cidadania (DPPC), Fernando Shimidt, para discutir estratégias de atuação conjunta dos dois órgãos contra práticas que lesam os direitos do consumidor.

Em especial, foram debatidas as práticas abusivas de empresas que oferecem cursos gratuitos vinculados a promessas de vagas de trabalho, estágio e bolsas de estudos – que ocasionou alerta do Procon-SP na semana passada. E também os problemas causados pelas lojas virtuais Fator Digital e Helloshop.

O Procon-SP denunciou os sites ao DPPC por não entregarem os produtos, promoverem cobranças indevidas (em duplicidade, compras não efetuadas ou canceladas) e não repararem produtos com defeitos.

“Trabalhar em parceria com o DPPC é importante para tentar eliminar o quanto antes do mercado fornecedores que se aproveitam da vulnerabilidade do consumidor para cometer práticas que contrariam a lei”, afirma Renan Bueno Ferraciolli, diretor de fiscalização do Procon-SP, que reforça a importância da denúncia por parte da população.

 

Tudo o que sabemos sobre:

DPPCProcon

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.