Procon caça lojas virtuais golpistas

Marcelo Moreira

04 de maio de 2011 | 14h12

Saulo Luz

Ao comprar pela internet, tome muitos cuidados para não cair nas armadilhas dos sites fantasmas. O alerta foi emitido pela Fundação Procon-SP, que divulgou uma lista de páginas eletrônicas de comércio eletrônico que estavam fraudando seus consumidores.

As 20 lojas virtuais advertidas pelo órgão de proteção prometiam entregar os produtos vendidos pela internet e sumiam depois que o pagamento era feito. Após a denúncia, alguns sites foram tirados do ar. Apesar de muitas continuam operando normalmente e oferecendo produtos.

O Procon-SP começou a investigar os sites a partir de reclamações de consumidores que adquiriram produtos pela internet, pagaram e não receberam a mercadoria. Foi quando o órgão constatou que alguns fornecedores, além de não entregarem os produtos, também não são encontradas em seus endereços oficiais informados nas páginas eletrônicas.

Até mesmo o Procon-SP tem encontrado dificuldade para localizar as empresas, já que as notificações encaminhadas pelo Procon-SP para solução dos problemas têm retornado com respostas dos Correios, tais como “mudou-se” e “endereço”.

“Na medida que o site desaparece do ar, os endereços e contatos informados não foram achados nas juntas comerciais. As cartas enviadas voltaram. Tentamos contato telefônico e também não encontramos nada”, afirma Fátima Lemos, assistente de direção do Procon-SP.

Além de advertir e revelar publicamente os sites, o Procon-SP repassou a relação das empresas ao Departamento de Polícia de Proteção à Cidadania (DPPC) – órgão da polícia civil que abriga as duas delegacias de crimes contra o consumidor, para que o caso seja investigado pela policia. “Continuaremos a monitorar os sites e eventualmente indicar outros, se forem identificados”, diz Fátima.

Mais conteúdo sobre:

comércio virtualProcon