Presidente da Telefônica pede desculpas por pane no Speedy

Marcelo Moreira

23 de maio de 2009 | 00h59

RENATO CRUZ – O ESTADO DE S. PAULO

O presidente da Telefônica, Antonio Carlos Valente, pediu ontem desculpas pelas panes do Speedy, serviço de banda larga da empresa, durante o evento “O Futuro Agora”, da Telequest. “Reconhecemos que tem problemas, e publicamente pedimos desculpas”, afirmou Valente. O serviço ficou fora do ar para muitos assinantes do Estado de São Paulo na tarde e na noite da última segunda-feira.

“É algo que não gostaríamos que tivesse acontecido, e que causa transtornos”, disse o presidente da Telefônica. “É uma situação que decorre do crescimento do serviço, que é muito acelerado, e exige tolerância por parte de todos.”

O executivo destacou que a Telefônica tem a segunda maior rede de banda larga do País, depois daquela formada pela compra da Brasil Telecom pela Oi, com 2,7 milhões de clientes.

Este ano, a Telefônica planeja investir R$ 750 milhões em sua rede de banda larga. Em 2008, foram R$ 500 milhões. “A rede esta sendo ampliada, com novas técnicas de proteção e redundância. A demanda é muito grande e as vendas continuam fortes, apesar de terem caído um pouco desde dezembro, por causa da redução nas vendas de computadores.”

No começo de abril, o Speedy havia sofrido uma outra pane, ficando instável por vários dias. Naquela ocasião, a Telefônica apontou a ação de criminosos virtuais como a causa do problema. Dessa vez, Valente não falou de hackers: “Até agora, não temos nenhuma evidência de ataque externo”.

Ele acrescentou que está para sair um laudo sobre os motivos do problema do mês passado, feito pelo CPqD (ex-centro de pesquisa da Telebrás), e que a Telefônica irá explicá-lo detalhadamente quando ficar pronto.

Apesar de a empresa não ter culpado ataques externos, os problemas do começo da semana foram muito parecidos com os do mês passado. Houve instabilidade nos servidores de nome de domínio (DNS, na sigla em inglês).

Essas máquinas transformam os nomes de sites digitados pelos internautas, como www.speedy.com.br , em endereços numéricos usados pelo protocolo de internet, responsável pelo funcionamento da rede mundial.

A pane afetou a navegação na internet, mas não outros serviços. “O usuário que estava falando no Skype, por exemplo, não teve problema”, afirmou o presidente da Telefônica, referindo-se ao serviço de telefonia via internet, que não depende da conversão de nomes de sites em endereços de rede.

Como no mês passado, a Telefônica se comprometeu em reembolsar os clientes pelas horas fora do ar. Em julho de 2008, o Speedy sofreu um grande apagão, que deixou os clientes sem serviço por 36 horas.
“Talvez a gente não esteja tendo tempo para fazer as ampliações na velocidade desejada”, disse o executivo.”