Presente do Dia das Mães, só com certificação

Marcelo Moreira

07 de maio de 2009 | 23h31

SAULO LUZ – JORNAL DA TARDE

Produto certificado e com origem conhecida evita dor de cabeça ao consumidor. A recomendação é cada vez mais verdadeira, até em razão das constantes operações de fiscalização que os órgãos públicos vem fazendo nos últimos anos.

A preocupação com a qualidade dos produtos aumentou e estabelecimentos comerciais estão mais cuidado na hora de oferecer produtos.

A mais nova blitz recebeu o nome de “Operação Dia das Mães”, feita pelo Instituto de Pesos e Medidas (Ipem-SP). O órgão realizou inspecionou 12.534 produtos produtos têxteis em 286 estabelecimentos comerciais em diversas cidades do estado.

No total, 137 produtos apresentaram irregularidades (1,10%) e 89 lojas foram autuadas. Só na capital, foram verificados 8.606 produtos em 176 estabelecimentos, dos quais 71 foram autuados.

“Se o produto não tem informação nenhuma, não é seguro comprar. Do contrário,como você vai saber se ele é composto por algum material a que você é alérgico? Ou como vai localizar a fabricante em caso de defeito?”, explica Jefferson Kovachich, supervisor técnico do setor têxtil do Ipem.

Os filhos que gostam de presentear a mãe com roupas também devem ter cautela e verificar se as peças possuem a etiqueta obrigatória que contém seis informações obrigatórias: origem (razão, nome ou marca acompanhada do CNPJ, país de origem, composição têxtil, cuidados para conservação e indicação de tamanho.

Trocas

Na hora da compra, o consumidor precisa lembra que os estabelecimentos não são obrigados a trocar produtos que não tenham defeito. “Trocar a peça por motivo de tamanho, cor ou modelo não é obrigação. Por isso, tenha certeza do tamanho correto e da cor que mais agrada sua mãe”, afirma Valéria.

Ela diz ainda que, caso a loja se disponha voluntariamente a realizar trocas, é recomendável formalizar o acordo por escrito, dê preferência na nota fiscal. “Mas não se esqueça do mais importante: não é o presente que importa, mas a presença do filho perto da mãe”, finaliza.