Preço de brinquedo varia até 140% em São Paulo

Marcelo Moreira

07 de outubro de 2011 | 17h06

Carolina Marcelino

O consumidor encontra diferença de preço de até 140,13% em brinquedos nas lojas de São Paulo. Essa é a conclusão de pesquisa realizada pelo Procon-SP e divulgada ontem. A maior variação foi encontrada na Coleção Frutinhas – Banana e Morango, da Cotiplás.

Dez lojas foram analisadas: BMart e Magazine Luiza (zona norte); Carrefour Imigrantes e Brinca Mundo (zona sul); Americanas e Extra Hipermercados (zona leste); PBKids e Walmart (zona oeste); e MP Brinquedos e Armarinhos Fernando (centro).

O brinquedo Coleção Frutinhas – Banana foi encontrado por R$ 22,90 no Armarinhos Fernando e por R$ 54,99 (140,13%, a maior variação verificada) no Walmart.

De acordo com a assessora técnica da Fundação Procon-SP, Cristina Rafael Martinussi, a tabela da pesquisa serve como parâmetro na hora das compras, mas ainda assim é preciso levar em consideração outros custos. “Às vezes não vale a pena se deslocar de um extremo para outro da cidade. Tem que colocar na ponta do lápis os custos como gasolina, estacionamento, por exemplo.”

Segundo a pesquisa, o Armarinhos Fernando foi a loja que oferecia o maior número de produtos com preços menores. Dos 52 brinquedos encontrados na loja, 45 eram mais baratos do que os das outras nove empresas analisadas e pesquisadas.

Em resposta ao JT, o Armarinhos Fernando informou que “consegue baixos preços ao adquirir grandes lotes de brinquedos com os fornecedores, o que resulta em negociações mais favoráveis, que se refletem em valores mais baixos em relação aos de mercado”.

A BMart informou que o preço da Coleção Frutinhas não tinha baixado, “pois trata-se de uma promoção do fabricante para o Dia da Criança”. A MP brinquedos respondeu que os “preços da pesquisa mostram que a empresa tem os valores mais baixos ou bem próximos por estar em uma região de comércio popular e trabalhar com margens de lucro reduzidas”.

Já o Carrefour preferiu reforçar o seu bordão mercadológico em vez de explicar os preços praticados: devolve a diferença em dinheiro caso o consumidor encontre outro estabelecimento varejista oferecendo o mesmo produto com preço inferior ao seu.

O Walmart contestou a pesquisa e explicou o porquê de o brinquedo com a maior variação de preço ter sido encontrado em uma de suas lojas: “a versão vendida da boneca é a edição especial, com tamanho maior. Nas outras lojas, no entanto, trata-se de outro modelo do brinquedo”.

O Procon desmentiu o Walmart e informou que o produto analisado é a versão normal encontrada em todas as outras lojas. Ainda de acordo com a instituição, antes da divulgação da pesquisa as lojas são procuradas e visitadas para validar os produtos e confirmar as características. Magazine Luiza, Brinca Mundo, Lojas Americanas, Extra Hipermercados e PBKids não responderam ao JT.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.