Portabilidade: mais de 2 mil pedidos de troca em SP

Marcelo Moreira

03 de março de 2009 | 22h30

RODRIGO GALLO – JORNAL DA TARDE

No primeiro dia de vigência da portabilidade numérica nos municípios com DDD 11, anteontem, 2.094 usuários solicitaram a troca de operadora de telefonia fixa e móvel, segundo dados da Associação Brasileira de Recursos em Telecomunicações (ABR Telecom).

Desde 1º de setembro do ano passado, quando a medida começou a ser gradativamente implantada no País, 527.853 pessoas pediram a migração, sendo que 352.429 delas chegaram a efetivar a troca de empresa.

Dos 2.094 pedidos de portabilidade nas cidades com DDD 11, na segunda-feira, 287 foram abertos por usuários de telefonia fixa e 1.807 da móvel. Na região, há um total de 30,8 milhões de linhas.

A título de comparação, no primeiro dia da portabilidade no Rio de Janeiro (DDD 21) 966 pessoas solicitaram a mudança, de um total de 16,5 milhões de linhas.

Campanhas

A possibilidade para a mudança de operadora mantendo o mesmo número custa, no máximo, R$ 4. Todas as empresas do setor criaram campanhas e planos voltados para ‘roubar’ os clientes das concorrentes.

Na última sexta-feira, em entrevista ao Jornal da Tarde, a diretora de marketing da Oi, Flávia Bittencourt, afirmou que a estratégia da empresa é agressiva e oferece bônus de conversação.

“No caso do pós-pago, o cliente terá mil minutos todo mês, durante 15 meses, para fazer chamadas para outros celulares da Oi ou de Oi para fixo”, disse, na ocasião.

A Claro informou que os consumidores podem testar os serviços da empresa dentro do chamado “Claro Teste”: sem prazo de carência, todo os interessados que possuem aparelho GSM ou 3G ganham um chip da operadora. Se ficar insatisfeito, o consumidor pode cancelar o plano a qualquer momento.

Quem migrar para a TIM vai receber um desconto de R$ 150 na compra de equipamentos (como modem de banda larga, roteadores e notebooks da Asus), além de aparelhos celulares ou fixos.

Base

As operadoras também afirmam que há uma preocupação constante com a satisfação da base de clientes, independentemente criação da portabilidade numérica. Mas informam não haver campanhas específicas para a retenção de usuários.

De acordo com o diretor da Vivo para o Estado de São Paulo, Carlos Cipriano, a empresa tem implementado há meses em alguns benefícios voltados também para quem já é cliente.

“Temos um programa de pontos para os clientes do pós-pago. Tudo o que a pessoa gasta com a Vivo gera pontos, dependendo do consumo, e eles podem ser trocados em uma loja por aparelhos novos”, disse.

Além disso, a empresa tem enviado mala direta para usuários do sistema pré-pago com a oferta de celulares. “Temos que beneficiar a base de clientes, pois traz uma receita recorrente à empresa, e mostrar aos outros que temos boas opções de planos.”

A Telefônica informa que “procura atuar de forma preventiva, com promoções e ofertas para manter o usuário na base de clientes da operadora.”

Coincidência ou não, alguns clientes estão recebendo ligações de funcionários das operadoras que oferecem planos promocionais ou aparelhos novos se aceitarem assinar um novo contrato de fidelidade com a empresa, por mais 12 meses.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.