Plano Verão: o prazo está terminando

Marcelo Moreira

09 de novembro de 2008 | 22h09

O prazo para as pessoas pedirem na Justiça a reposição das perdas da poupança ocasionadas pelo Plano Verão pode ser menor do que o previsto.

Em princípio, quem possuía caderneta com aniversário entre 1º e 15 de janeiro de 1989 tem até 31 de dezembro para entrar com ação de revisão dos valores. Porém, com o recesso do Poder Judiciário, é melhor contar com o prazo até o dia 19 de dezembro a fim de garantir a reposição do dinheiro.

Milhões de poupadores deixaram de ganhar 20,36% dos depósitos em suas cadernetas, com a implantação do Plano Verão, em 1989. Em vez da correção de 42,72%, as contas foram remuneradas por 22,36%. A Justiça está reconhecendo o direito dos poupadores à devolução dos valores não creditados.

Segundo estimativa do Banco Central (BC), a alteração da forma de atualizar as poupanças, feita durante o plano, provocou perdas de quase R$ 44 bilhões a seus titulares. Em valores atualizados, o prejuízo chega a R$ 110 bilhões. São mais de 550 mil ações na Justiça.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.