Passagens aéreas mais transparentes

Companhias de aviação deverão informar preço total do bilhete, incluindo os serviços adicionais.

Marcelo Moreira

03 de junho de 2010 | 06h07

 Saulo Luz

Todos os custos embutidos na compra de passagens aéreas no Brasil terão de estar discriminados nos bilhetes ou acessíveis ao consumidor a partir de 10 de junho.

Uma resolução da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) determina que as companhias aéreas deverão informar ao passageiro o preço total e final durante todas as etapas da compra – já incluídos todos os custos e serviços indispensáveis à realização da viagem (como o adicional de combustível no caso de voos internacionais).

Com isso, a Anac espera que o passageiro tenha melhores condições de comparar os preços entre os concorrentes e não seja surpreendido com cobranças após a compra do bilhete.

“Hoje, ao consultar o preço de uma passagem aérea, seja na loja, internet, telefone ou agência de viagem, o passageiro recebe um determinado preço. Porém, no final da compra, ele descobre que o preço total é maior por causa da cobrança de tarifa de embarque, adicional de combustível e adicional de emissão”, diz Rogério Teixeira Coimbra, gerente de regulação de econômica da Anac.

 A resolução também determina que os serviços opcionais oferecidos pelas companhias (bagagens extra, serviço de bordo, seguros, comissão para vendas via telefone, loja ou agente de viagens) deverão ser cobrados à parte e de forma clara.

 Se alguma empresa não cumprir a determinação, o passageiro pode denunciar o caso por telefone (0800 725 4445),  pela internet WWW.anac.gov.br/faleanac ou ainda nos postos da ANAC nos principais aeroportos do país.

Tudo o que sabemos sobre:

Anacpassagens aéreas

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: