Para banco, cliente vítima de fraude é sempre culpado

Marcelo Moreira

10 de outubro de 2011 | 07h21

O HSBC tem uma forma bastante peculiar de relacionar com seus clientes. Até que se prossa provar o contrário, todo cliente é bandido e fraudador, ou no mínimo omisso. É isso que o podememos deduzir diante do tratamento absurdo e inaceitável que recebeu o leitor Felipe Soares Vivas de Castro, de São Paulo:

“Depositei o cheque de um cliente do HSBC em minha conta, mas ele foi devolvido. Então liguei para a agência, a fim de descobrir o que aconteceu, mas fui muito mal atendido por uma funcionária que gritava e não passava as informações corretamente. A atendente não quis me dar o telefone de algum departamento que pudesse me auxiliar ou informar se a devolução foi provocada por rasura ou data incorreta. Segundo ela, o cheque foi fraudado e para piorar a situação, ela jogou a responsabilidade deste fato sobre mim. Agora vejamos: se o banco não possui um controle rígido sobre os talões e não desenvolve um mecanismo eficaz de segurança para a emissão de cheques, como eu posso ser responsabilizado por ser vítima de um golpe? Liguei para a ouvidoria, para reclamar do atendimento, mas fui informado que a postura da funcionária que me atendeu aos berros está correto e que não houve mau atendimento. E agora?”

RESPOSTA DO HSBC: O HSBC informa, por meio de sua assessoria de imprensa, que encaminhou correspondência repassando os esclarecimentos solicitados.

COMENTÁRIO DA REDAÇÃO: O banco entrou em contato para informar que a forma de atendimento está correto, já que os funcionários podem lançar responsabilidade de fraude no cliente que recebe o cheque.

Tudo o que sabemos sobre:

fraudeHSBC

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: