Para Anatel, Speedy está normalizado

A Agência Nacional de Telecomunicações concluiu que o serviço de banda larga da Telefônica, o Speedy, está normalizado, quase depois de dois anos após as falhas que deixaram os usuários sem internet, afetando inclusive serviços públicos, como o Poupatempo e Polícia Militar, no Estado de São Paulo

Marcelo Moreira

09 Julho 2010 | 15h31

Felipe Tavares Serano

A Agência Nacional de Telecomunicações concluiu que o serviço de banda larga da Telefônica, o Speedy, está normalizado, quase depois de dois anos após as falhas que deixaram os usuários sem internet, afetando inclusive serviços públicos, como o Poupatempo e os computadores da Polícia Militar, no Estado de São Paulo.

 Em documento com a data de terça-feira, 6, a agência afirma ter concluido as análises técnicas sobre as melhorias adotadas pela Telefônica no Speedy realizadas em 2009.

Entre as exigências apresentadas, estavam a expansão da capacidade de comunicação entre os computadores no Brasil e servidores no exterior, contratação de funcionários, criação de quatro centros de serviços, melhorias na rede, no atendimento e na comercialização.

 
 

Segundo a Anatel, os três planos de melhorias propostos pela Telefônica foram concluídos dentro do prazo.

A agência listou as quatro principais falhas que afetaram a rede do Speedy nos últimos dois anos. A primeira pane aconteceu das 8 horas do dia 2 de julho até à meia-noite do dia 5 de julho de 2008, deixando 2 milhões de assinantes sem acesso.

 As falhas nos equipamentos do Speedy são a causa apontada pela Anatel. A segunda pane atingiu todos os usuários do Speedy das 22 horas do dia 6 de abril às 3h30 9 de abril de 2009, causado por um ataque de hackers.

A terceira pane, no dia 18 de maio do ano passado, teria deixado todos os usuários sem acesso à internet por doze horas por causa de uma instabilidade do DNS.  A última foi no dia 2 de julho, também no ano passado, quando o mesmo problema deixou os clientes do Speedy sem internet por seis horas e meia.