Pai adotivo ganha 90 dias de licença

Marcelo Moreira

27 de março de 2009 | 19h54

A Justiça do Trabalho reconheceu o direito à licença de 90 dias para um servidor solteiro que adotou um bebê. O funcionário, assistente social no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 15ª Região, em Campinas, adotou uma criança de menos de um ano de idade.

A decisão foi unânime e teve como bases o Estatuto da Criança e do Adolescente e a Constituição. “Conduta desta natureza é digna de louvor”, afirmou Carlos Alberto de Paula, integrante do Conselho Superior da Justiça do Trabalho.

Tendências: