Ovos de Páscoa com problemas

Marcelo Moreira

07 de abril de 2009 | 19h45

ELENI TRINDADE – JORNAL DA TARDE

A fiscalização do Procon de São Paulo encontrou irregularidades em 21 (35%) de 60 lojas fiscalizadas durante a Operação Páscoa. Entre os dias 30 de março e 3 de abril, os fiscais visitaram estabelecimentos que vendem ovos de Páscoa e chocolate.

Os principais problemas foram a falta de informação sobre a presença de glúten no produto (13 irregularidades), falta de rotulagem nutricional (9), ausência de informação sobre a composição (8) e falta do prazo de validade (8).

“A informação sobre a presença do glúten é muito importante para portadores de doença celíaca e não podem faltar nas embalagens e rótulos”, afirma Paulo Arthur Góes, diretor de Fiscalização do Procon.

Segundo a Associação dos Celíacos do Brasil (Acelbra), a doença celíaca é pouco conhecida, se manifesta entre o primeiro e terceiro ano de vida e é caracterizada por diarreia crônica, desnutrição, anemia, osteoporose, entre outros sintomas, e a estimativa é que existam cerca de 300 mil brasileiros com a doença.

As empresas autuadas responderão processo administrativo e podem ser multadas de R$ 212,82 a R$ 3.192.300. “O consumidor precisa ter cuidado ao comprar ovos de Páscoa e chocolates. Deve observar as informações dos rótulos, verificar a data de validade e a identificação do fabricante, pois muitos se apresentam como artesanais, mas são fabricados em larga escala”, aconselha Góes.

No caso dos produtos voltados ao público infantil, é preciso observar atentamente se os brindes e brinquedos que acompanham os doces são certificados. “Os produtos têm de ter o selo do Inmetro e a indicação de faixa etária”, completa ele.

Já o consumidor que vai comprar cestas temáticas, deve exigir informações sobre todos os itens que compõem os kits. “O consumidor precisa saber quais são os itens inclusos e o prazo de validade de cada um para ter acesso a produtos de qualidade e até facilidade para comparar os preços desse tipo de produto em vários estabelecimentos e fazer a melhor escolha.”

Os consumidores que encontrarem esses e outros tipos de irregularidades em produtos, devem denunciar o problema ao Procon pelo 151, www.procon.sp.gov.br ou nos postos de atendimento nos Poupatempo.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.