Ovos de Páscoa com muito açúcar e goprdura

Marcelo Moreira

30 de março de 2009 | 19h56

SAULO LUZ – JORNAL DA TARDE

Os ovos de Páscoa estão mais caros em São Paulo – alta 10% em relação ao ano passado, segundo estudo da Fundação Getúlio Vargas (FGV) –, e com índices altos de de açúcar e gordura.

Segundo avaliação da Associação Brasileira de Defesa do Consumidor (Pro Teste), a maioria dos produtos contém alto teor de gordura e açúcar, embora nada que seja prejudicial à saúde em doses normais ou se for consumido moderadamente.

Os 30 ovos testados (13 infantis e 17 para o mercado adulto) têm altos teores de açúcar, independentemente da faixa etária a que se destinam (a entidade considerou aceitável até 20% do valor diário recomendado por porção).

“Não queremos fazer terrorismo e dizer ‘não comam’, mas recomendamos bom senso e moderação para adultos e crianças”, afirma Ana Luisa Ariolli, supervisora institucional da Pro Teste.

Dentre todos os ovos de páscoa (inclusive os infantis), apenas o Sonho de Valsa – que não é destinado diretamente ao público infantil – pode ser consumido de maneira moderada por crianças a partir de quatro anos. Todos os demais têm teor elevado de gordura.

Além disso, o Kopenhagen ao Leite de 900g e o Top Milk chocolate ao leite de 150g (da Top Cau) não são indicados nem para adultos. Uma porção de 25g deles ultrapassa os 20% de limite diário de consumo de açúcar e de gordura recomendados. Kopenhagen, Kraft Foods Brasil (Lacta), Arcor, Garoto e Ferrero do Brasil e Nestlé informam seus produtos são produzidos de acordo com rígidos e avançados critérios de segurança alimentar e qualidade.

Tendências: