Operadoras terão de reduzir muito as queixas

Marcelo Moreira

06 de agosto de 2012 | 08h00

 Forçadas a melhorar a qualidade dos serviços, TIM, Claro e Oi prometeram à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) a ampliação da quantidade de antenas e da extensão de redes até 2014, além de uma drástica redução no número de reclamações. Foi com base nesses compromissos que o órgão regulador liberou a retomada das vendas de novos chips nos Estados onde as três ficaram suspensas por 11 dias.

O plano proposto pela TIM prevê uma redução de 44% do índice de reclamações da companhia na Anatel até 2014. De acordo com o documento, divulgado ontem pelo órgão regulador, a companhia prevê uma queda de apenas 3% nesse indicador até o fim deste ano, chegando a 25% de queda no fim de 2013.

A operadora – que havia sido suspensa em 18 Estados e no Distrito Federal – pretende investir R$ 8,2 bilhões na melhoria da infraestrutura e do atendimento nos próximos dois anos e meio.

 Apesar das dificuldades de instalação de novas antenas por causa de legislações municipais, a TIM prometeu ampliar o número de torres dos atuais 12 mil para 14 mil.

A companhia também pretende elevar a quantidade de transmissores dos atuais 181 mil para 271 mil. De acordo com a TIM, atualmente 76% da rede da empresa consegue cumprir as metas da Anatel para o completamento de chamadas e a intenção é elevar essa faixa para 82% até o fim de dezembro.

Menos queixas

As promessas da Oi vão na mesma linha. A empresa, que foi punida em cinco Estados, prevê a redução das reclamações em 42% até 2014. Para isso, a operadora promete investir R$ 5,5 bilhões em suas redes, dos quais R$ 1,7 bilhão especificamente para a melhoria da qualidade dos serviços.

E para lidar com um crescimento estimado de 35% na sua base de clientes entre 2011 e 2014, a companhia se comprometeu a aumentar a quantidade de transmissores instalados em suas antenas dos atuais 165 mil para 200 mil daqui a dois anos e meio.

Segundo a empresa, a metas impostas pela Anatel para o atendimento das solicitações feitas nos call centers devem ser inteiramente cumpridas pela empresa já em setembro deste ano.

A Claro prometeu ter 14.660 antenas de transmissão no País, das quais 12.036 operando no 3G até 2014. Segundo a companhia, em 2011 sua rede contava com 12.580 torres, com apenas 7.064 pontos de 3G. O plano de expansão da operadora – punida em três Estados, incluindo São Paulo – prevê o desembolso de R$ 6,3 bilhões no período.

Tudo o que sabemos sobre:

AnatelClaroOiProconTIM

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.