Operadoras de telefonia continuam inventando cobranças de serviços

Marcelo Moreira

22 de setembro de 2009 | 21h02

Crescem as reclamalções contra operadoras de telefonia fixa e móvel a respeito de cobranças de serviços não solicitados. Quando menos se espera, aparece um débito na conta de coisas que os clientes nunca ouviram falar, como “sorteios virtuais”, “torpedos premiados” e outras porcarias semelhantes. O caso da leitora Michele Medau, de São Paulo, é simplesmente absurdo:

“Há quatro meses, obtive um chip de celular pós pago da TIM. Desde então, sou bombardeada por mensagens do tipo “quero paquerar você”, que chegam diariamente, inclusive de madrugada. Além de não ter sido solicitado, este serviço vem sendo cobrado nas faturas, com valor de R$ 0,57 por mensagem. Entro em contato com a operadora desde março deste ano e os atendentes sempre garantem que o serviço será cancelado, o que não aconteceu até agora.”

RESPOSTA DA TIM: Em contato com a cliente, informamos que o caso foi encaminhado para a área técnica para a conclusão do procedimento de cancelamento do serviço. A TIM informou ainda que foram realizados os devidos ajustes nas faturas com vencimentos em 25de abril e 25 de maio e os valores cobrados pelo serviço serão restituídos em dobro na fatura com vencimento em 25 de julho.

COMENTÁRIO DO ADVOGADO DE DEFESA: Realmente, mensagens como essas que a consumidora recebeu não podem chegar à linha privativa da cliente e, ainda por cima, ser cobrado desta o serviço pela TIM. Não basta a empresa informar, agora, que o caso foi resolvido: os valores cobrados por esse invasão de privacidade e “azarações” indevidas, fruto da deficiência do serviço, devem ser devolvidos em dobro para a usuária da linha.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.