O que muda nos financiamentos da casa própria com o pacote da habitação

Marcelo Moreira

26 de março de 2009 | 22h58

Para quem ainda não está familiarizado com assunto, o governo federal lançou nesta semana um pacote de incentivo ao mercado imobiliário, o chamado pacote da habitação, com a destinação de mais R$ 4 bilhões para a construção de imóveis, a maioria populares.

O pacote também traz medidas de incentivo também para a classe média. Antes, o valor máximo do imóvel financiado pelo Sistema Financeiro da Habitação era de R$ 350 mil. Agora, é de R$ 500 mil.

Veja um pequeno resumo do que muda com o pacote:

O que significam essas mudanças?

Significa que quem quiser comprar uma casa mais cara vai poder usar uma linha de crédito mais barata – a mesma que antes só valia para imóveis de até R$ 350 mil. Ou seja, quem comprava uma casa de R$ 500 mil e pagava, em média, juros de 14% ao ano mais TR agora vai pagar no máximo 12% ao ano mais TR.

Quando as novas regras passam a valer?

A partir da publicação no Diário Oficial, que pode ocorrer hoje mesmo.

Quem pode ter acesso a esse financiamento?

Para os interessados em usar os recursos do FGTS, é preciso ter conta no Fundo há pelo menos três anos e não ter outro imóvel financiado ou de sua propriedade na região em que trabalha.


Quanto eu preciso pagar de entrada?

Pelo menos 10%. Como o valor máximo de financiamento é de R$ 450 mil, quem for financiar um imóvel de R$ 500 mil tem que dar pelo menos R$ 50 mil como sinal.

Só a Caixa faz esse tipo de financiamento?

Não, todos os bancos trabalham com crédito imobiliário. A única diferença é que a Caixa opera boa parte das linhas do FGTS, que costumam ter taxas mais acessíveis.

Tendências: