Nome sujo indevidamente rende indenização

A operadora de celular Vivo foi condenada pela 19ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul (TJ-RS) a pagar o valor de R$ 15.300 a título de danos morais a um consumidor. A condenação é por cadastrar indevidamente o nome do cliente nos dados do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC)

Marcelo Moreira

08 de outubro de 2010 | 13h07

A operadora de celular Vivo foi condenada pela 19ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul (TJ-RS) a pagar o valor de R$ 15.300 a título de danos morais a um consumidor. A condenação é por cadastrar indevidamente o nome do cliente nos dados do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC).

Tudo o que sabemos sobre:

indenizaçãoVivo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.