Nome sujo indevidamente rende indenização

Marcelo Moreira

08 de agosto de 2011 | 17h51

A 8ª Vara Cível de Fortaleza determinou que o mototaxista E. A. M. receberá 50 salários mínimos de indenização por danos morais da Aymoré, que o inseriu em órgãos de proteção ao crédito indevidamente. Mesmo sem nunca ter qualquer contrato com a Aymoré, E.A.M foi negativado por conta de suposta dívida de R$ 48 mil.

Tudo o que sabemos sobre:

indenização

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.