Metade das famílias endividadas

Metade das famílias da cidade de São Paulo tem dívidas a pagar, informou hoje a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomecio-SP). Em agosto, o número de famílias endividadas é de 50%, ante 52% registrado em julho

Marcelo Moreira

21 de agosto de 2010 | 09h00

Fabrício Castro – Agência Estado

Metade das famílias da cidade de São Paulo tem dívidas a pagar, informou hoje a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomecio-SP). Em agosto, o número de famílias endividadas é de 50%, ante 52% registrado em julho pela Pesquisa de Endividamento de Inadimplência do Consumidor (Peic). No total, 1,8 milhão de famílias da cidade possuem algum tipo de dívida.

Já o índice de famílias com contas em atraso recuou para 14% em agosto, em relação aos 15% de julho e aos 19% de agosto do ano passado.

Já o índice de inadimplência da Peic – que mede a proporção de famílias que acreditam não ter condições de pagar total ou parcialmente as contas nos próximos meses – atingiu 5% em agosto, ante os 11% de julho. Em agosto de 2009, o indicador era de 8%.

Para a assessora econômica da Fecomercio Adelaide Reis, em agosto do ano passado a economia brasileira ainda sofria a influência da crise financeira internacional. “Nesse cenário, o endividamento das famílias mostrava trajetória ascendente, já que, com a escassez de crédito, havia maior dificuldade na rolagem das dívidas, o que provocou elevação do total de famílias com contas em atraso e aumento do índice de inadimplência naquele momento.”

Agora, o cenário é diferente. “Fatores relacionados ao desenvolvimento de um melhor ambiente econômico indicam crescimento sustentado do crédito às pessoas físicas, favorecendo a evolução do consumo familiar”, afirma Adelaide.

“A expansão do emprego e da renda familiar, o aumento da oferta de crédito, a elevação da confiança do consumidor e a evolução moderada do endividamento médio dos tomadores de empréstimos são importantes para esse cenário.”

Tudo o que sabemos sobre:

endividamentoFecomercio

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: