Loja é condenada por vender VHS erótico, mas lacrado, como se fosse fita virgem

Marcelo Moreira

19 de junho de 2009 | 23h53

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro condenou a Casa e Vídeo indenizar uma cliente em R$ 10 mil por danos morais. Ela comprou fita de videocassete lacrada, achando que estava intacta, e usou metade para gravar uma festa infantil. Ao exibi-la a amigos, descobriu que o restante da película tinha cenas de sexo explícito.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.