Leite: valor nutricional não confere com o que diz embalagem

crespoangela

11 de novembro de 2007 | 16h05

Por Thalita Pires

Seis laticínios sofrerão investigação do Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC), do Ministério da Justiça, por irregularidades nas informações nutricionais em embalagens de leite longa vida. Amostras coletadas no varejo de 4 estados – Paraíba, Goiás, Tocantins e Santa Catarina – foram analisadas pelo órgão, que concluiu que os produtos tinham valor nutricional diferente do declarado na embalagem.
A Parmalat S.A. teve duas marcas – Parmalat e Alimba – reprovadas, por falta de carboidrato no produto. A Cooperoeste, que comercializa a marca Cedrense, também apresentou níveis menores de carboidrato do que o anunciado no rótulo. Já as marcas Total, Clipe, Lebom e Marajoara apresentaram problemas nos níveis de proteína no leite. Nenhuma das amostras com problemas foi localizada no estado de São Paulo.
Os fabricantes terão 10 dias, a contar da data do recebimento da notificação, para apresentar defesa. Se condenadas, as empresas podem pagar multa de R$ 200 a R$ 3 milhões.
A notificação do DPDC, no entanto, não obriga as empresas a tirar os produtos das prateleiras. Só ao final do processo, se confirmadas as acusações de rotulagem inadequada, o consumidor que se sentiu lesado poderá entrar com pedido de reparação.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.