Justiça proíbe a venda ce celular bloqueado

Marcelo Moreira

03 de julho de 2012 | 08h07

Um dos trunfos das operadoras de telefonia celular para tentar fidelizar clientes foi derrubado pela Justiça Federal de Brasília. A 5ª Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região determinou que as empresas de telefonia celular deixem de vender celulares bloqueados aos consumidores, sob pena de multa diária de R$ 50 mil.

A decisão, unânime, foi tomada no julgamento de recursos formulados pelo Ministério Público Federal (MPF) e pela Oi, que recorreram contra sentença de primeiro grau favorável ao bloqueio. Cabe recurso à decisão.

A ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público Federal cobrava o fim das práticas de fidelização e bloqueio de aparelhos, mesmo que temporário. A Justiça de primeira instância não tinha aceitado os pedidos formulados pelo Ministério Público contra a venda de aparelhos bloqueados, alegando que a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), órgão responsável pela supervisão do setor, permite, por norma regulamentar, o bloqueio por até 12 meses.

Ao recorrer ao TRF, o MPF e a Oi alegaram que o bloqueio fere o direito de livre escolha do consumidor. A tese também é defendida por diversas entidades brasileiras de defesa do consumidor.

Tudo o que sabemos sobre:

celularcelularestelefones celulares

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.