Juros sobem para consumidores e empresas

Com as últimas altas da Selic, cinco de seis modalidades de crédito para pessoas físicas estão com juros maiores. Segundo a Anefac, esse é o maior patamar da taxa de juros desde fevereiro desde ano. Para as empresas, aumento foi em duas dos quatro tipos de empréstimo

Marcelo Moreira

10 de junho de 2010 | 18h52

As taxas de juros para o consumidor voltaram a subir em maio. A pesquisa da Associação Nacional dos Executivos de Finanças (Anefac) mostra que das seis modalidades de crédito analisadas, apenas os juros cobrados pelo cartão de crédito rotativo não apresentaram alterações. Todas as demais taxas apresentaram elevação.

A taxa de juros média geral para a pessoa física apresentou elevação de 0,04 ponto porcentual, passando de 6,82% em abril para 6,86% ao mês em maio. No ano, o aumento é de 1 ponto porcentual, subindo de 120,71% para 121,71%. Esta é a maior taxa de juros média geral desde fevereiro de 2010.

Os empréstimos que ficaram mais caros em maio foram os pessoais tanto em bancos quanto em financerias e o juros do comério, com uma elevação de 0,06 ponto porcentul. O comércio elevou a taxa mensal de 5,77% para 5,83%. Os bancos, de 4,79% para 4,85%. E as financeiras, de 9,87% para 9,93%.

O CDC, que corresponde ao crédito para compra de veículos, apresentou elevação de 0,05 ponto porcentual, subindo de 2,40% para 2,45%. Já o cheque especial teve alta de 0,03 ponto porcentual, de 7,40% para 7,43%.

Para as empresas, o crédito também ficou mais caro em duas modalidades. O levantamento mostra que a taxa média geral para a pessoa jurídica subiu 0,02 ponto porcentual, de 3,65% por mês para 3,67%. No ano, essa média de juros teve acréscimo de 0,35 ponto porcentual e um aumento de 53,76% para 54,11%.

Tudo o que sabemos sobre:

Anefacjuros

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: