Ipem autua lojas que vendem uniforme escolar

Marcelo Moreira

25 de janeiro de 2012 | 16h46

O Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo (Ipem-SP) multou 23 estabelecimentos pela venda de uniforme estudantil com irregularidades, durante a “Operação Uniforme Escolar”, realizada entre os dias 16 e 20 de janeiro pelo nas cidades de São Paulo, Campinas e São José dos Campos.

Na operação foram visitadas 45 lojas e 17,35% das peças avaliadas estavam com irregulares na etiqueta. Ao todo, os fiscais do Ipem-SP examinaram 56.431 peças – entre calças, camisas, shorts, blusões e camisetas – para verificar se os itens à venda seguem as normas obrigatórias exigidas pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) para produtos têxteis, que devem apresentar etiqueta com informações sobre dados do fabricante ou do importador, CNPJ, país de origem, composição têxtil, símbolos de cuidados com a conservação e indicação de tamanho, tudo em língua portuguesa.

“Existe um regulamento técnico do Mercosul que exige que essas normas sejam obedecidas. E isso também vale para uniformes escolares”, diz Elisete Aparecida Fernandes da Silva, diretora de divisão do Ipem-SP.

As empresas autuadas poderão ter de pagar multa (que varia de R$ 100 a R$ 1,5 milhão) e têm dez dias para apresentar defesa ao Ipem. Além disso, produto deve ser retirado do ponto de venda para correção.

Mais conteúdo sobre:

IpemIpem-SPmaterial escolar