Internet: Anatel investigará a TIM

Marcelo Moreira

27 de setembro de 2012 | 08h16

FERNANDA NUNES
 
A operadora de telefonia TIM/Intelig, sob investigação da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) desde agosto por supostos cortes propositais de chamadas do plano Infinity, agora passa por outra bateria de queixas, desta vez relacionadas ao serviço de acesso à internet.

Desde a semana passada, clientes da companhia no Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília reclamam de apagões na prestação do serviço, em especial nos planos corporativos, um dos focos da operadora na disputa pelo mercado. A Anatel informou que somente se posicionará sobre a questão nos próximos dias.

A empresa reconhece que está havendo falhas na prestação do serviço e diz que a expectativa é solucionar definitivamente os problemas no período de seis meses, como informou o presidente da Intelig, Rogério Takayanagi.

Segundo ele, este é o tempo necessário para concluir a integração dos processos das duas empresas, TIM e Intelig, cuja junção ocorreu em 2009. Os problemas ocorrem, segundo informou, devido à padronização operacional, e não por deficiência de infraestrutura.

“A TIM tem crescido na velocidade de um pequeno país todo ano. Podemos frear o crescimento e aumentar as tarifas. Mas esse não é o objetivo dos operadores”, diz Takayanagi, completando que assumiu a presidência da Intelig neste mês com a missão de concluir a integração das empresas e garantir qualidade no serviço.

Em meio ao processo de transição, os clientes seguem reclamando. “A minha sorte é que trabalho com outra operadora de telefonia, alternativa à TIM/Intelig. Caso contrário, teria quebrado”, contou Fábio Luiz Oliveira do Nascimento, diretor da Netway, provedora de internet no Rio. A Netway ficou sem acesso à internet por uma semana, entre os dias 15 e 21 de setembro. Sem sucesso na tentativa de retomar o serviço, pediu o cancelamento do contrato.

O consumidor avalia que o serviço da Intelig, da qual era cliente, piorou após a aquisição da operadora pela TIM. “A minha empresa vende acesso à internet. Antes da compra pela TIM isso não acontecia. A Intelig era uma empresa muito mais estável”, reclamou.

Atualmente, a TIM Intelig enfrenta acusação do Ministério Público do Paraná de derrubar ligações de clientes que pagam por discagem e não por tempo, o que está sob investigação da Anatel. 

 Colaborou Rodrigo Petry

Tudo o que sabemos sobre:

AnatelTIM

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.