Inmetro irá testar serviço de banda larga

Marcelo Moreira

25 de março de 2010 | 16h53

SAULO LUZ – JORNAL DA TARDE

O Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro), em parceria com a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e do Comitê Gestor da Internet (CGI), vai analisar o serviço de internet banda larga no Brasil em oito capitais: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba, Fortaleza, Salvador e Brasília.

Os primeiros testes já começaram neste mês em São Paulo e no Rio. “O objetivo da análise é fazer um ‘raio-X’ do serviço de banda larga no Brasil”, diz o pesquisador da Divisão de Metrologia em Telecomunicações do Inmetro, Ewerton Longoni Madruga. Para isso, estão sendo escolhidos voluntários – entre três e seis por empresa em cada cidade – que contratarão o serviços de banda larga (para se candidatar preencha formulário no site: www.ceptro.br/Simet/FormularioSIMET). “Essas conexões não poderão ser usadas para fins pessoais, somente para testes”, completa Madruga.

Após a instalação, serão realizadas medições – por um período de, pelo menos, duas semanas – nas quais serão avaliados fatores técnicos e exigidos padrões mínimos de qualidade. A disponibilidade de conexão deve ser maior ou igual a 99% (máximo de 7,2 horas de interrupção por mês).

Além disso, a velocidade média da conexão deve ser, ao menos, 60 % da prometida ao consumidor – na variação entre os pico e piso, a velocidade mais baixa não pode ser inferior a 20% do que é anunciado pela operadora. Já o tempo de espera para conectar deve ser, no máximo, de um minuto – dentro de um limite de duas tentativas.

“Para medir esses critérios técnicos, instalaremos um software especial na máquina do voluntário. Esse programa enviar á informações a uma central”, explica Milton Kaoru Kashiwakura, diretor de projetos do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (Nic.br), braço executor do CGI.

Também serão avaliados quesitos de atendimento, como: tempo máximo de reparo de dois dias úteis, instalação do serviço em até sete dias e prazo máximo de 30 dias para cancelamento do serviço. “Dependendo da abrangência dos problemas no setor, discutiremos ações de melhoria com poder público, empresas e consumidores”, finaliza Madruga.

Mais conteúdo sobre:

3GAnatelbanda largaInmetro