Inadimplência das pessoas físicas cresce desde 2007, diz Serasa

Marcelo Moreira

06 Maio 2009 | 17h56

ISABEL SOBRAL – AGÊNCIA ESTADO

O presidente da Serasa, empresa de análise de crédito, Francisco Valim, afirmou nesta quarta-feira, 6, que a taxa de inadimplência no crédito às pessoas físicas no Brasil está subindo desde 2007.

Atualmente, está em 8,3% do total de crédito o porcentual de créditos atrasados há mais de 90 dias, segundo dados de março do Banco Central.

Valim, que participou de audiência pública da Comissão Especial da Câmara criada para acompanhar os efeitos da crise financeira internacional, disse, no entanto, que essa elevação da inadimplência no Brasil foi pouco afetada pela crise financeira.

“Não houve reflexo negativo significativo da crise no mercado de crédito às pessoas físicas”, declarou Valim. No entanto, ele destacou que a crise provocou, desde o final do ano, certa retração das pessoas em tomar novos empréstimos. “E isso devido às incertezas quanto à empregabilidade”, afirmou.

Para o presidente da Serasa, a inadimplência no crédito às pessoas físicas no Brasil é alta e tem causas estruturais. “Um dos principais problemas é a forte concentração do crédito, porque é sempre a mesma parcela da população que toma crédito”, afirmou.

Isso, segundo ele, leva em alguns momentos ao “superendividamento” dessas pessoas que acabam atrasando os pagamentos.