Idec comemora 20 anos com livro

crespoangela

26 de julho de 2007 | 18h36

Texto de Maíra Teixeira

Em 1998, Meire Miyashiro, de 41 anos, ficou grávida do terceiro filho, uma menina que hoje tem 8 anos, mesmo tomando o anticoncepcional microvilar. “Eu tinha recomendações médicas para não engravidar porque na época tinha acabado um tratamento que me obrigou a tomar uma grande dose de iodo, que é um elemento radioativo. Quado descobri que estava grávida, além do susto, tive medo de perder o bebê ou de ele ter problemas por conta da radiação. Passei a gravidez com a cabeça ‘cheia de minhoca’ e no terceiro mês de gestação quase sofri um aborto, isso tudo por conta de um anticoncepcional que tomei a vida inteira, mas que bem na hora que não podia não surtiu efeito.”

Meire (à esquerda, embaixo) e a filha ao lado de outras mães da ‘pílula de farinha’.

Histórias como esta fazem parte do dia-a-dia e do trabalho do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) que comemora hoje o seu 20º aniversário com o lançamento do livro inédito Idec – Vinte Anos Construindo a Cidadania, com tiragem especial que conta a trajetória de um dos órgãos mais atuantes do País e que tem proporcionado mudanças significativas à sociedade brasileira. O livro não será vendido, mas estará disponível para download gratuito a partir de hoje no site www.idec.org.br.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.