GreenLine assume clientes da Samcil

Marcelo Moreira

05 de maio de 2011 | 08h17

Marília Almeida

A partir de agora quem tem convênio médico Samcil ou Serma deve buscar atendimento na rede da GreenLine. Isso porque a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) autorizou a aquisição da carteira de clientes das duas operadoras pela empresa.

A ANS determinou que a Samcil transferisse todos os seus beneficiários à outra empresa por entender que ela não tinha mais condições de arcar com uma dívida de R$ 70 milhões. São 193 mil clientes da Samcil e 81 mil da Serma. Antes da transição, a carteira da GreenLine era de 326 mil clientes.

Mesmo atendimentos de emergência passam a ser realizados somente nos hospitais da GreenLine na cidade. Os últimos dois hospitais próprios da Samcil abertos, o Vasco da Gama, na zona leste, e São Leopoldo, na zona sul, não estão recebendo pacientes. Quem tinha consultas ou procedimentos agendados deve remarcar na rede da GreenLine.

De acordo com a empresa, a incorporação da rede de atendimento da Samcil ainda está em negociação. A empresa diz que está em período de adequação e ainda não enviou as carteirinhas e livros com endereços da rede credenciada para os novos clientes.

Enquanto isso, os profissionais e locais de atendimento podem ser consultada no site www.greenlinesaude.com.br ou pelo SAC da operadora. O atendimento será realizado mediante apresentação das carteiras da Serma e da Samcil.
A ANS afirma, em nota, que a GreenLine irá manter todas as condições assistenciais das operadoras de origem.

Segundo a advogada do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), Juliana Ferreira, no caso de venda de carteira a operadora que assume os clientes é obrigada a manter as mesmas condições do contrato, inclusive mensalidade. “Só poderia haver diferença de contrato caso a carteira fosse levada à oferta pública, o que não chegou a acontecer”, explica.

Segundo ela, a rede credenciada também faz parte do contrato e deve ser mantida. “Porém, a Samcil estava tão ruim financeiramente que muitos profissionais se descredenciaram antes da transferência, o que torna a perda da rede de atendimento relativa.”

Mesmo assim, usuário do plano pode exigir continuidade de tratamento com um médico ou hospital. Caso não seja atendido, pode pedir indenização na Justiça por quebra contratual tanto da GreenLine quanto da Samcil. O período de transição das carteiras será acompanhado pela ANS. Problemas devem ser denunciados à agência.