Governo prorroga prazo do IPVA

Marcelo Moreira

13 de janeiro de 2010 | 18h49

DO JORNAL DA TARDE

Os proprietários de veículos com placa final 1, 2 e 3 terão novo prazo para pagar o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) com desconto ou parcelado.

A decisão foi tomada ontem pela Secretaria da Fazenda de São Paulo após os problemas constatados no sistema de pagamento, que prejudicaram quem tentou quitar o tributo nos últimos dois dias.

Agora, o pagamento poderá ser realizado entre os dias 22 e 26 de janeiro, quando os contribuintes poderão parcelar o valor em três vezes ou quitá-lo à vista – com desconto de 3%. Para os demais veículos, vale o prazo original: placas com final 4 vencem hoje, as de final 5, amanhã, e assim por diante, pelos próximos dias úteis.

O problema no pagamento do tributo foi causado pelo excesso de solicitações, no horário bancário, ao sistema da Companhia de Processamento de Dados do Estado de São Paulo (Prodesp), responsável pelos dados relativos ao IPVA.

De acordo com a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), o sistema oscilou diversas vezes ontem e anteontem, chegando até a ficar inacessível por alguns momentos. Os transtornos foram maiores entre 10 horas e 12 horas, logo após a abertura dos bancos.

O diretor-presidente da Prodesp, Mário Bandeira, negou que a situação tenha sido causada por falta de planejamento ou falha na infraestrutura do órgão. “Houve um pico muito grande de pessoas acessando ao mesmo tempo, e isso tem um grau de imprevisibilidade alto”, explicou.

Segundo ele, é recomendável que quem ainda não pagou o imposto procure fazê-lo pela internet ou pelos caixas eletrônicos fora do horário bancário, para evitar nova lentidão no sistema. “Recomendamos fugir das horas de grande concentração. Eu, por exemplo, paguei às 8h19 via internet e não tive problemas.”

Monitoramento

Bandeira afirmou também que não há expectativa de que novos atrasos aconteçam nos próximos dias. “Temos uma equipe monitorando o sistema 24 horas e fazendo a coordenação com os bancos”, disse o diretor.

Essa estratégia consiste em acumular pagamentos nas instituições bancárias nos horários de pico para serem processados depois pela Prodesp, quando o sistema estiver menos sobrecarregado.

Além disso, cerca de 20% dos contribuintes cujas datas de vencimento ainda não chegaram já efetuaram pagamento adiantado. “Agora, é provável que o fluxo comece a diminuir e o sistema não tenha mais problemas”, avaliou Bandeira.

Tentativas frustradas

O professor José Tavares, 55 anos, só conseguiu quitar o imposto após imprimir o boleto bancário no site da Secretaria. Ele conta que na segunda-feira tentou pagar pela internet, na página do banco do qual é correntista e não conseguiu. Ontem, conta, esteve em duas agências bancárias e tampouco obteve êxito, o que o levou a imprimir o boleto e, aí sim, completar a operação.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.