Golpe do celular pré-pago volta com força

Marcelo Moreira

14 de novembro de 2011 | 07h13

Luciele Velluto

Usuário de internet que tem celular pré-pago deve ficar atento: vem aí uma enxurrada de falsas ofertas de créditos com desconto, mas que na verdade servem como isca para que estelionatários clonem os cartões de crédito das vítima que digitarem seus dados pessoais no site dos criminosos.

A multinacional de segurança na internet Kaspersky, especializada em segurança na internet, identificou no início de novembro esse crime virtual sendo praticados a partir de uma página eletrônica brasileira que aplica golpes em clientes das principais operadoras de telefonia do País.
“Era um site muito bem feito, com um nome sugestivo para quem queria carregar. O usuário fazia o cadastro e pagava os minutos de conversação com o cartão, mas não recebia o crédito e, ainda, tinha os dados roubados”, diz Fabio Assolini, analista de malware da Kaspersky.
Alguns usuários receberam a propaganda do site via e-mail e, quando clicavam no link, era encaminhados para o site que oferecia os créditos. O que tornava a compra de créditos para celular atraente era o desconto que a página eletrônica oferecia. Uma compra de R$ 150 em crédito saia por R$ 105 para o consumidor, por exemplo.

O site também apresentava selos de segurança como outros sites de vendas que operam na web. Porém, quando o usuário buscava o registro dos selos encontrava o nome de outra empresa.

“Quando pesquisamos o registro da empresa, o site estava em nome de uma pessoa física, que provavelmente nem sabe que é dona desse domínio na internet, e com um e-mail do Hotmail. Empresas sérias têm e-mail próprio. Todos esses indícios desmascaram os falsários”, diz Assolini.

O crime só ficou comprovado pela empresa de segurança porque no próprio site foi encontrado um trojan spy, um tipo de vírus de computador que rouba as informações dos dispositivo da vítima. Esse programa malicioso tem acesso a dados bancários, documentos e até fotos.

“Fizemos a denúncia tanto para o Registro.br, entidade que administra os domínios e para a empresa que hospedava o site, que acabou tirando do ar no mesmo dia”, comenta o analista. Para a Kaspersky, o site ficou três dias no ar, mas não tem como mensurar quantas pessoas teriam sido lesadas.

A empresa de segurança também alerta os usuários que novos sites falsos de compra de créditos para celular pré-pago devem surgir nos próximos meses. “Os criminosos brasileiros são ‘maria vai com as outras’. Quando um golpe dá certo, ele é aplicado por vários criminosos durante um bom tempo”, explica Assolini.

A recomendação do especialista em segurança é que o usuário que queira recarregar o celular via web usando o cartão de crédito como forma de pagamento usem apenas os sites oficiais das operadoras de telefonia celular.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.