Garantia estendida é mais uma opção para o consumidor

Marcelo Moreira

11 de dezembro de 2009 | 22h16

Existem duas modalidades de garantia: a contratual (dada pela empresa) e a legal, estabelecida pelo Código de Defesa do Consumidor (CDC). Assim, mesmo que o produto já esteja fora da garantia oferecida pela empresa, o consumidor ainda pode se valer da garantia prescrita pela lei.

Além destas, existe a garantia estendida, que é regulamentada pela Superintendência de Seguros Privados (Susep) e consiste em uma forma de oferecer assistência técnica ao consumidor por mais tempo.

Não existe um preço fixo para a cobrança desse serviço, que começa a valer no momento em que a garantia legal é encerrada. Se o consumidor optar por pagar a mais pela garantia estendida, deve prestar atenção ao assinar o contrato.

“O produto só estará segurado naquilo que está devidamente descrito na apólice, ou seja, o produto poderá ter cobertura apenas em parte como, por exemplo, somente o câmbio e não o motor do veículo, ou cobertura de roubo e não furto”, alerta o site do Procon.

É o consumidor que decide se vale a pena optar pela garantia estendida. Ou seja: a loja deve sugerir o serviço aos clientes na hora de passar a compra no caixa, como geralmente é feito no comércio, mas não pode obrigar a adesão ao contrato.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.