Fiscalização ‘aperta’ mercados

Marcelo Moreira

17 de setembro de 2011 | 07h21

Policiais da 2º Delegacia do Consumidor da capital detiveram ontem, em flagrante, o gerente do Walmart da Vila Leopoldina (Av. Dr. Gastão Vidigal). Isso porque o caixa da loja cobrava preço diferente (10% a 20% mais) do anunciado na gôndola por alguns produtos. Além disso, a loja teria colocado a venda itens com data vencida ou que venciam ontem.

Já no Jardim Aricanduva, a Fundação Procon-SP chegou a fechar o Carrefour Avenida Rio das Pedras. A unidade teve suas atividades suspensas até o início da tarde, quando a rede conseguiu liminar para funcionar.

A ação é resultado de fiscalização em novembro do ano passado, quando 11 supermercados foram flagrados vendendo produtos vencidos. Na época, o órgão determinou o fechamento das lojas por 12 horas, mas as empresas recorreram na Justiça.

Na quarta-feira, o Procon derrubou um dos recursos e fechou o Carrefour da Vila Guilherme (zona norte). Anteontem, o Carrefour já havia conseguido impedir o fechamento de uma outra loja da rede, não divulgada pelo Procon.

Mais conteúdo sobre:

CarrefourfiscalizaçãoProcon