Fique atento com a garantia estendida

Marcelo Moreira

23 de abril de 2009 | 19h16

LIGIA TUON – JORNAL DA TARDE

Você comprou um eletrodoméstico e pagou um valor a mais pela garantia estendida, mas nem percebeu. Esse é um problema recorrente que leitores do JT tem encontrado. E o pior: muitas vezes recebem a oferta da garantia estendida do vendedor e aceitam, mas não se dão conta do fato.

Além das garantias legal, garantida pelo Código de Defesa do Consumidor (CDC), e da contratual (oferecida pelo fabricante), existe também a chamada garantia estendida. É preciso saber se esse serviço é oferecido durante a compra do produto e se o consumidor tem pleno conhecimento desse serviço.

A garantia estendida geralmente é oferecida pelo comerciante e vale por um período de tempo maior do que o das outras garantias. É paga à parte pelo cliente e consiste em uma modalidade de seguro, tendo sido regulamentada em 2005 pela Superintendência de Seguros Privados (Susep). A Susep é o órgão responsável pelo controle e fiscalização dos mercados de seguro.

Para Valéria Cunha, assistente de direção do Procon, são raríssimas as vezes que o cliente tem acesso ao contrato da garantia estendida. “É fundamental que as pessoas tenham acesso à apólice”, diz ela.

Desatenção

Luciano Ferreira, por exemplo, reconhece que, na hora da compra de uma antena parabólica nas Casas Bahia, não buscou informações detalhadas sobre os tipos de garantias. “Só descobri que eu tinha direito à garantia estendida quando tive problemas com o produto”, conta ele. Ferreira, como muitos consumidores desavisados, gastou um valor a mais por uma mercadoria sem ter consciência disso.


Luciano Ferreira: desatenção e decepção (FOTO: TIAGO QUEIROZ/AE)

As Casas Bahia informaram em nota que a história de Ferreira é um caso isolado, pois os vendedores da loja passam por um treinamento para oferecer a contratação do serviço. A empresa acrescentou que “tomará as medidas cabíveis para que tal fato não volte a acontecer”.

Rescisão

Nesses casos, a advogada do Idec Maíra Feltrin orienta que o consumidor tem o direito de pedir a rescisão do contrato. “Se a loja se recusar a devolver o dinheiro cobrado a mais sem a permissão do cliente, este pode recorrer ao Procon”, acrescenta.

O mesmo problema de desconhecimento ocorreu com Elizabeth Pires quando foi comprar uma máquina de lavar na loja Fast Shop. Mas, no caso dela, a garantia estendida trouxe benefícios. “Eu nem imaginava que estava pagando uma taxa a mais, porém, valeu à pena, pois pude fazer a troca e não tive problemas com isso”.

A Fast Shop informou que vende os produtos de acordo com a solicitação do cliente e que não inclui o serviço sem o desejo do consumidor.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.